Países visitantes

Países visitantes: Brasil, Estados Unidos da América, Portugal, Alemanha, Rússia, Canadá, Reino Unido, Argentina, Espanha, Angola, Polônia, China, França, Israel, Venezuela, Ucrânia, Paraguai, Bolívia, Indonésia, Malásia, Grécia, República Tcheca, Iraque, Jordânia, Hong Kong, Itália, Austrália e India.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Deus, Fonte de amor.


Uma das maiores necessidades do ser humano é a de amar e ser amado. O amor é indispensável à sobrevivência pois, sem ele, perdemos nossas vitalidades emocional e física. Quando experimentamos o amor, sentimos um profundo bem-estar que nos afeta física, mental, social e espiritualmente.

Carência de afeto leva muita gente ao divórcio, aos hospitais psiquiátricos e ao suicídio. Uma criança que não tem um relacionamento afetivo com os pais, especialmente com a mãe, pode desenvolver distúrbios emocionais e apresentar prejuízos no desenvolvimento físico. Para manter o casamento, só o amor; quando ele falta, a família se desmorona em frustração.

1. A origem do amor

“Deus é amor”! Ele é a fonte de todo amor verdadeiro. Ele “tanto amou o mundo que deu o seu Filho” em sacrifício (1João 4:8; João 3:16). Jesus deixou o Céu para morrer por nós. Nunca haverá uma demonstração de amor maior do que esta. Este amor divino deve ser a base do amor que devemos ter para conosco e o nosso próximo.

2. O que o amor não é

O amor não é um sentimento, que pode desaparecer. Os sentimentos podem ser alterados pelo estado emocional, pelos sentidos, por doenças, pela atitude do(a) companheiro(a), etc. Geralmente, a primeira atração entre duas pessoas baseia-se naquilo que se sente. Mas quando a relação chega ao casamento, ela não deve mais basear-se apenas nos sentimentos.
Por vezes, confunde-se o amor com ardente paixão que, quando é provada nas adversidades, murcha e morre. O resultado são muitos casais amargurados por decepção e desilusão. O amor é como um plantinha que precisa ser cultivada e nutrida para que não morra. A base de um casamento saudável deve ser um princípio adotado por uma decisão racional – que parte de uma vontade consagrada por Deus – de amar, custe o que custar.

3. Princípios do amor verdadeiro

Em um relacionamento a dois, surgirão momentos de insatisfação emocional, como se os sentimentos do início da relação tivessem acabado. Daí surgem dúvidas: “Será que não gosto mais dele(a)?” “O que há de errado?” Mas tais momentos também fazem parte de um relacionamento e é a partir daí que escolhemos amar. Por isso, os sentimentos não são o guia mais seguro. Os princípios do amor verdadeiro devem estar em ação.
3.1 O amor verdadeiro vem de Deus – Se Deus é a origem do amor, quanto mais buscarmos conhecê-Lo, mais capacitados vamos estar para amar.
“O que é preciso para ser feliz?
Amar como Jesus amou…
Viver como Jesus viveu,
Sentir o que Jesus sentia…”

Nenhum comentário:

SEGUIDORES

Acompanhar por E-mail

OUTROS ARTIGOS

Ocorreu um erro neste gadget