Países visitantes

Países visitantes: Brasil, Estados Unidos da América, Portugal, Alemanha, Rússia, Canadá, Reino Unido, Argentina, Espanha, Angola, Polônia, China, França, Israel, Venezuela, Ucrânia, Paraguai, Bolívia, Indonésia, Malásia, Grécia, República Tcheca, Iraque, Jordânia, Hong Kong, Itália, Austrália e India.

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Encontrando a Fé

Júlio César Romanov - IEADPE
Então, continuei a procura deste conceito tão abstrato, do que seria fé, pois sem ela é impossível agrada a Deus. Compreendi a fé natural: que amanhã vai chover (no verão sempre costuma chover à tarde, é a famosa chuva de verão, intensa e passageira). Mas, isso não era a fé de hebreus 11:1.

Então numa pequena digressão pensei que a vida muitas vezes se assemelha a uma peça de teatro. Nascemos como atores/figurantes, seria a infância, temos pouca participação naquilo que desejamos. Não escolhemos a roupa que vestimos, a escola que estudamos, os amigos, enfim tudo nos é alheio. Nesta época da vida quem toma as nossas decisões são os nossos pais e diga de passagem: são diretores em experiência da sua própria peça. Mais crescidos, começas a ensaiar a peça da nossa vida com uma fala individual aqui e ali. Não somos ainda o ator principal, mas também não somos os meros figurantes, talvez seja a adolescência da nossa vida. Após isso conseguimos o papel na vida de ator coadjuvante e na sequencia finalmente de ator principal e diretor da nossa própria existência, enfim a vida adulta plena.

Mas, ocorre que no palco da nossa existência, algumas vezes o roteiro sai da nossa direção quando acontece algo: uma doença terminal, um acidente automotivo grave, uma tragédia, uma passagem de quase morte. Percebemos então que o roteiro da nossa vida, naquela oportunidade, não está em nossas mãos, mas nas mãos do único roteirista de todo ser que é vivo - Deus. Do Deus que enviou o seu único filho Jesus Cristo, que muito nos amou. Sendo que Ele sabe a história da nossa vida, ontem, hoje e no futuro. Adquirimos a plena consciência que no universo (físico e espiritual) tem um Deus Trino (Pai, Filho e Espírito Santo) que tudo sabe tudo ouve, tudo vê, enfim tudo conduz com muito amor.

Quando temos essa percepção e entendemos novamente que somos atores da nossa vida, mas que o roteirista e diretor é Deus. Então, o grande Deus nos dá um sentimento, uma “certeza das coisas que se esperam (futuro) e a convicção dos fatos que se não veem” (você sabe o que vai acontecer no plano de Deus e no plano da sua vida), então encontramos a nossa fé. E dizemos profetizando: eu não vou morrer desta doença maldita, eu não vou ser privado da minha família, eu não vou falir... Aqui, encontramos a fé, a pura e genuína fé.

Na minha vida eu encontrei a fé nos meus piores momentos, Deus na sua infinita misericórdia, me revelou a fé como verdadeiro lenitivo para minha alma aflita. Então, você meu irmão e minha irmã, é filho(a) de Deus, o Deus que te ama muito. Tenha fé que Deus deseja o melhor para você. Tenha fé!

Amém.

Júlio César Romanov.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Força na fraqueza



Paulo fez uma afirmação difícil de entender, e mais difícil ainda de aplicar na nossa vida: "Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte" (2 Coríntios 12:10). Atrás dessas palavras enigmáticas encontramos algumas lições importantes e edificantes. Vamos procurar entender o que Paulo disse e como aplicar esse ensinamento quando enfrentamos dificuldades.


Paulo sofreu de algum espinho na carne

Ele disse: "E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi_me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte. Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim." (2 Coríntios 12:7-8).
Algumas pessoas gastam muito tempo especulando sobre o espinho na carne. O fato é que Paulo não revelou o que foi, e ninguém hoje sabe. O que importa não é a natureza do espinho, mas a maneira que Paulo o encarou. Observe estes fatos em 2 Coríntios 12:7-9: Œ Paulo reconheceu Satanás como a fonte do problema. Ele disse que o espinho era "mensageiro de Satanás". Por que Satanás mandaria um mensageiro a Paulo? Sabemos muito bem que o diabo quer a nossa ruína. Ele quer nos devorar como leão que ruge (1 Pedro 5:8). Na vida de Paulo, como na vida de bilhões de outras pessoas, Satanás usou o sofrimento para tentar derrotá-lo.  Deus usou aquele espinho e recusou tirá-lo da vida de Paulo. Aqui aprendemos uma coisa importante sobre os males da vida. Deus não causou o sofrimento no mundo, e ele não nos tenta (Tiago 1:13). Muitas vezes, ao invés de tirar os problemas das nossas vidas, ele os utiliza para o nosso bem. Deus amou Paulo, mas ele não o poupou de todo sofrimento. Jamais devemos interpretar problemas como sinais do desprezo de Deus. Ele pode usar calamidades para castigar os ímpios, mas, ele também permite tribulações na vida de seus filhos (Hebreus 12:5-11).

Como Deus usou o sofrimento de Paulo

Quando Deus recusou tirar o espinho da vida de Paulo, ele ofereceu  esta explicação: "A minha graça te basta, porque o poder se   aperfeiçoa na fraqueza" (2 Coríntios 12:9). A graça contradiz o merecer. Se Paulo, no passado, se julgou auto-suficiente, ele não continuou assim (veja Filipenses 3:4-11). Nas tribulações, ele aprendeu depender da graça do Senhor. Quando sentimos que temos tudo sob controle por causa da nossa própria capacidade, facilmente esquecemos de Deus. Nas horas de maior fraqueza, quando sentimos incapazes de resolver os nossos problemas sozinhos, tendemos a voltar para Deus e nos entregar à poderosa mão dele. Nossa inteligência não nos basta. Nossos recursos financeiros não nos bastam. Nossos amigos não conseguem preencher as nossas necessidades. A graça de Deus nos basta, e o poder dele se manifesta através da nossa fraqueza. É exatamente isso que Paulo entendeu: "De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo" (2 Coríntios 12:9).

Como Paulo usou seu próprio sofrimento

As palavras de Paulo em 2 Coríntios 12:10 são impressionantes,  refletindo uma maturidade espiritual que poucos alcançam: "Pelo   que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte." Ele sentia prazer no sofrimento! Será que nós sentimos a mesma coisa? É comum sentir pena de si, ou amargura, ou profunda depressão, mas sentir prazer? O comentário de Paulo não trata de alguma prática louca de autoflagelação, mas de sua capacidade de confiar plenamente no Senhor. Ele entendeu que o sofrimento nos oferece oportunidades para aproximar mais de Deus, e Paulo aproveitou tais oportunidades ao máximo. Da mesma forma que a pessoa que pratica ginástica ou musculação pode sentir prazer no esforço e sofrimento da malhação, visando os resultados em termos da saúde física, Paulo sentia prazer nas angústias da vida, tendo em vista os resultados de crescimento espiritual e do galardão eterno. Tiago falou a mesma coisa: "Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes" (Tiago 1:2-4).
Paulo explica seu prazer em dois sentidos: Œ "...por amor de Cristo". Quando Paulo admitiu sua própria incapacidade, ele deixou Cristo tomar conta da vida dele. Como Cristo morreu para nos dar vida, nosso velho homem morre para dar lugar para Jesus viver: "Porque eu, mediante a própria lei, morri para a lei, a fim de viver para Deus. Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim" (Gálatas 2:19-20). Jesus aceitou a "fraqueza" da sua forma humana para se entregar por nós. É somente quando aceitamos a nossa própria inadequação que temos condições de nos entregar a Cristo.  "Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte". Quando Paulo confiou plenamente em Cristo, se esvaziando do orgulho e da idéia de ser autônomo, ele ganhou força bem maior. Cristo vivendo em Paulo era infinitamente mais forte do que Paulo sozinho.

Como nós usamos o sofrimento?

Considere as palavras que Paulo usa em 2 Coríntios 12:10. Como você reage aos mesmos desafios na sua vida? Paulo enfrentou:
Fraquezas. Você se sente incapaz de enfrentar algumas fraquezas (problemas, tentações vícios, etc.)? Essas fraquezas devem servir de convite para permitir Jesus reinar na sua vida.
Injúrias. Você foi maltratado ou ofendido por outros? O diabo quer usar suas injúrias como motivo de ódio, vingança e blasfêmia. Mas Deus quer que você fique forte, usando essas injúrias como oportunidade para crescer.
Necessidades. Você enfrenta grandes dificuldades financeiras? Não sabe como resolvê-las? Nada melhor que a fome para tornar o homem dependente de Deus. Jesus deu este desafio: "Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal" (Mateus 6:33-34). Pessoas que nunca conheceram a pobreza têm dificuldade em entender esse princípio. Quando temos geladeiras abastecidas e armários cheios de alimentos, é difícil imaginar a circunstância que Jesus descreve. Esse é, sem dúvida, um dos motivos que poucos ricos são convertidos a Cristo (1 Coríntios 1:26-29; Marcos 10:23-25).
Perseguições. Quando sofremos por causa de Cristo, é o momento de desistir ou de ficar mais firmes que nunca? Muitas pessoas egoístas justificam sua desistência porque não querem sofrer. Mas os discípulos verdadeiros imitam o exemplo dos cristãos hebreus: "Lembrai_vos, porém, dos dias anteriores, em que, depois de iluminados, sustentastes grande luta e sofrimentos; ora expostos como em espetáculo, tanto de opróbrio quanto de tribulações, ora tornando_vos co_participantes com aqueles que desse modo foram tratados. Porque não somente vos compadecestes dos encarcerados, como também aceitastes com alegria o espólio dos vossos bens, tendo ciência de possuirdes vós mesmos patrimônio superior e durável.... Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição; somos, entretanto, da fé, para a conservação da alma" (Hebreus 10:32-34,39). Falando de perseguições, devemos lembrar que fazem parte da vida do cristão. Paulo usou uma palavra bem abrangente para frisar esse fato: "Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos" (2 Timóteo 3:12). Nenhum servo do Senhor tem imunidade da perseguição.
Angústias. A palavra usada aqui vem de uma raiz que descreve lugares estreitos ou apertados. Muitas pessoas sofrem de claustrofobia. Quando se encontram em lugares apertados e fechados sentem-se desesperadas. Espiritualmente, muitos reagem da mesma forma. Quando se vê em apuros, como você reage? Abandona os princípios de Deus e age de uma forma errada no desespero? A única saída é aceitar o fato que você é incapaz de sair do problema sozinho. Temos que reconhecer a necessidade da graça de Deus, para aceitar o resgate que ele nos oferece. "Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus" (Filipenses 4:6-7).

Conclusão

Os servos do Senhor sofrem nessa vida. Enfrentamos perseguições, angústias, fraquezas, necessidades, etc. Da mesma maneira que Deus recusou tirar o espinho de Paulo, ele pode deixar qualquer um de nós em circunstâncias difíceis e desagradáveis. Quando nos encontramos nessas situações, vamos ter a fé e a coragem que Paulo mostrou para aproveitar a oportunidade e crescer espiritualmente. Quando nos entregamos a Cristo, encontramos a graça e a força verdadeira.


quarta-feira, 12 de março de 2014

A Alegria do Senhor é a Nossa Força!



As experiências amargas podem nos tirar a alegria. Uma das maravilhas de Deus para nós é que essa alegria pode ser reencontrada na adoração e na palavra de Deus que alimentam a nossa fé.

O povo de Israel havia acabado a reconstrução dos muros de Jerusalém há poucos dias, mas parecia que isso não os tinha alegrado o suficiente. Assim como nós, eles precisavam descobrir ou redescobrir que em meio a tantos problemas e dificuldades reencontrar-se com Deus e a sua palavra, tem o poder de renovar a alegria, e que o passado deveria ficar para trás.

1º) O DESEJO DE OUVIR A PALAVRA RESTAUROU A UNIDADE (v.1).

O desejo pela palavra, sem máscaras ou acréscimos uniu o povo, porque eles queriam obedecer a Deus. Não há como obedecer a Deus à parte do entendimento das doutrinas da palavra de Deus (Jo 7.17). A unidade se torna visível naturalmente, porque não é um produto das ações humanas, mas acima de tudo, da ação de Deus nas nossas vidas. Quando queremos a Deus encontramos unidade, quando queremos concretizar os nossos sonhos particulares encontramos competição e partidarismo. A unidade é corporativa, não corporativista.

2º) O DESEJO DE OUVIR A PALAVRA PRODUZIU ADORAÇÃO GENUÍNA (v. 2-9).

O desejo de obedecer propiciou a perseverança para entender. Eles estavam ao ar livre; acomodados precariamente. A busca pelo conforto é inimiga do entendimento da palavra. Hoje queremos um culto que se pareça ao máximo com as nossas poltronas diante de uma TV. Que o pregador seja engraçado; que fale o que queremos ouvir; que seja breve. Aqui, o povo estava Atento (v.3), reverente (v.5). Reverência é mais que silêncio durante as reuniões; é o respeito que se deve ter com as coisas de Deus e os elementos litúrgicos do culto. Em adoração e louvor (v.6); buscando entendimento do ensino proferido (v.8) e quebrantado (v.9).

3º) O ENTENDIMENTO CLARO DA PALAVRA RENOVOU A ALEGRIA! (v.10-12).

O desejo de obedecer não deve nos levar à tristeza, mas à alegria e à comunhão (Sl 126 e 137), porque “a alegria do Senhor é a vossa força” (v.10). Porque dela tiramos forças; porque ela expressa a nossa força, ou seja, a nossa força como povo de Deus é a alegria de servir a Deus.

Conclusão (v.11 e 12): O povo foi incentivado a festejar suas vitórias espirituais. Nós fazemos churrasco quando passamos no vestibular, aniversariamos, ou conquistamos um emprego melhor. Mas quando foi que fizemos um churrasco por causa de uma vitória espiritual significante?!

A renovação da alegria aconteceu “porque tinham entendido as palavras que lhes foram explicadas” (v.12). Queremos que o culto seja uma surpresa nova a cada dia, mas o que realmente surpreende é a fidelidade de Esdras e dos levitas na exposição das escrituras, porque eles liam e explicavam corretamente o que liam.

A alegria do Senhor é a nossa força quando reflete a nossa unidade; quando se alimenta da Palavra de Deus; quando revela publicamente a renovação espiritual que a Palavra de Deus nos traz. O povo voltou para casa feliz, depois de uma manhã de esforço e perseverança, depois de terem chorado e entendido as Escrituras. O povo voltou feliz porque entendeu e ninguém poderia lhes tomar o que estava em seu coração, a verdade de Deus, a força de sua vitória!

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Louvando a Deus em meio as tribulações


Júlio Romanov


“Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, meu Salvador e meu Deus” (Salmo 42:5).

Quão difícil é para o homem louvar a DEUS no momento da tristeza e da aflição de sua alma! Mas DEUS dá a receita para os espíritos abatidos e amargurados: louve o Seu santo Nome. O louvor foi feito por DEUS para o engrandecimento do Seu Espírito. O louvor é um gesto de gratidão do homem com DEUS, reconhecendo que ELE está presente também nas horas em que a pessoa se sente sozinha e melancólica.

Quando uma pessoa entoa, no momento de dor, um cântico de louvor a DEUS, ELE se faz presente como um DEUS consolador: “na angústia, invoquei ao Senhor e clamei ao meu Deus; desde o seu templo ouviu a minha voz e aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face” (Salmos 18:6). Não devemos louvar apenas depois que recebemos as bênçãos do PAI, mas muito antes, por aquilo que ELE é e representa em nossas vidas. Louve! O Espírito Santo habita no meio dos louvores. Mesmo sem vontade, louve! Chorando, com o coração amargurado, é hora de louvar, de engrandecer o Nome do SENHOR através dos cânticos celestiais que saem de nossa boca. O louvor traz paz, renova as nossas forças, projeta-nos ao alvo que DEUS estabeleceu para as nossas vidas.

DEUS já se faz presente em nós, está conosco todos os dias, sejam nas tempestades ou na calmaria. DEUS nos dá a provisão diária, o alimento, o trabalho, a morada, os livramentos, a paz e toda sorte de bênçãos. É em CRISTO que devemos nos abrigar quando sobre nós vêm as rajadas de chuva: “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. (…) Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; serei exaltado entre as nações, serei exaltado sobre a terra” (Salmo 46: 1 e 10).

O profeta Habacuque era um desses que fazia de sua vida uma atmosfera de interrogações e queixumes. Ele não entendia porque tantas coisas ruins aconteciam ao seu redor, porque os ímpios prosperavam e os filhos de DEUS padeciam devido a grandes angústias. Habacuque perguntava a DEUS: “Por que te calas quando o ímpio devora aquele que é mais justo do que ele?” (1:13). Mas o mesmo profeta, que era um dos cantores do templo, buscava DEUS em oração, refugiava-se em sua torre de vigia, e aguardava pacientemente a resposta: “sobre a minha torre de vigia estarei, e sobre a fortaleza me apresentarei e vigiarei, para ver o que fala comigo, e o que responderei a esta queixa” (2:1). Habacuque, assim como você que lê este estudo, via as coisas ao seu redor e ficava perplexo. Contanto, em meio a tantas desgraças, a um cenário estarrecedor, ele entoou um dos mais belos cânticos de louvor ao DEUS de Israel: “Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide, ainda que o fruto da oliveira falhe, e os campos não produzam mantimento, ainda que as ovelhas sejam exterminadas, e nos currais não haja gado, todavia eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação” (3:17-18). Assim também fez Jó, quando foi atingido pelos dardos inflamados de satanás em sua caminhada cristã. Durante os momentos mais difíceis de sua vida, as suas perdas, a sua dor profunda, além de ouvir o conselho da sua própria esposa que amaldiçoasse a DEUS e morresse, foi nesse cenário que Jó, passando pelo vale de angústia, louvou a DEUS com os seus lábios e de todo o coração: “Nu saí do ventre da minha mãe, e nu tornarei para lá. O Senhor o deu e o Senhor o tomou; bendito seja o nome do Senhor” (Jó 1:21).

E Davi o que fez quando estava sendo perseguido por Saul, seu adversário? Reclamou? Baixou a guarda? Leia então os versículos seguintes e encontre a resposta de Davi às ameaças de Saul: “no dia seguinte um espírito maligno da parte de Deus se apoderou de Saul. Ele começou a profetizar em sua casa, enquanto Davi tocava a harpa como nos outros dias. Saul trazia na mão uma lança, e a atirou, dizendo para si mesmo: encravarei a Davi na parede. Mas Davi se desviou dele duas vezes (…). Porém o espírito maligno da parte do Senhor tornou sobre Saul, estando ele assentado em sua casa, e tendo na mão a sua lança. Enquanto Davi tocava o seu instrumento de música, Saul procurou encravá-lo na parede. (…) Davi se saía muito bem em todas as suas expedições, porque o Senhor era com ele” (1 Samuel 18:10-11; 19:9-10; 18:14). Um dos louvores que Davi escreveu e entoou no momento de maior perseguição de Saul contra a sua vida está no Salmo 18. Leia-o! Faça dele também o seu cântico.

Apesar de DEUS garantir vitória aos Seus filhos, muitos destes não têm entoado cânticos de louvor ao PAI quando os dias maus se agigantam. Ao contrário, têm procurado desistir da caminhada, usado a boca apenas para reclamar. Apesar de DEUS livrar você da morte, dos laços dos inimigos da sua alma e ainda te abençoar, ter misericórdia de ti, ELE não tem recebido nada como recompensa. Por essa razão, o salmista indagou: “Que darei eu ao Senhor, por todos os benefícios que me tem feito?” (116:12). O que você tem dado a DEUS em retribuição ao que ELE tem feito por você? Observe algumas resoluções que você tem de fazer nas situações adversas para que obtenha vitória: 1) “Invocarei ao Senhor enquanto eu viver” (vers. 2); 2) “andarei perante a face do Senhor na terra dos viventes” (vers. 9); 3) “tomarei o cálice da salvação e invocarei o nome do Senhor” (vers. 13); 4) “Pagarei os meus votos ao Senhor na presença de todo o seu povo” (vers. 14 e 18); 5) “nos átrios da Casa do Senhor, no meio de ti, ó Jerusalém! Louvai ao Senhor!” (vers. 16); 6) “Oferecerei sacrifícios de louvor a Deus” (vers. 17).

O apóstolo João descreveu o tipo de filho que DEUS verdadeiramente deseja encontrar aqui na terra: “Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, pois o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade” (João 4:23-24). A principal característica de um verdadeiro adorador é que seu louvor a DEUS não olha as circunstâncias nem escolhe um tempo. Em dias de sol e em dias de chuva, ele louva ao DEUS de sua salvação.

O deserto é inevitável na vida daqueles que estão em CRISTO e precisam ser aperfeiçoados por ELE. Os dias maus também são inevitáveis. Louvado seja DEUS porque ELE nos prova e nos aperfeiçoa. Nosso PAI tem um Amor especial por nós, por isso ELE nos quer melhores a cada dia, transformados, moldados. Mas não passe pelo deserto sem louvá-LO nem agradecê-LO por tudo o que ELE é sua vida. Nós, filhos de DEUS, recebemos vida nova em CRISTO para adorá-LO. Só quem não louva a DEUS é quem está morto espiritualmente, quem nunca nasceu de novo: “os mortos não louvam ao Senhor, nem os que descem ao silêncio” (Salmo 115:17); “Mostra tu maravilhas aos mortos? Levantam-se os mortos e te louvam?” (Salmo 88:10). DEUS te deu a boca, os sons, para ser louvado. “Dai ao Senhor a glória de seu nome; trazei presentes e vinde perante ele; adorai ao Senhor na beleza da sua santidade” (1 Crônicas 16:29). Desde agora e para sempre, que esta seja a nossa oração, que tenhamos a unção de adorá-LO em todos os momentos de nossa vida!

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Deixa Jesus entrar no teu Barco

Deixa Jesus Entrar No Seu Barco


Texto (Mc. 6:51) "E, subiu para o barco para estar com eles."

Às vezes não entendemos e não compreendemos, por que estamos sofrendo? Qual o motivo de tanto tribulação, e de tanto sofrimento? Será que Deus se esqueceu de mim? Onde o Senhor está que não está me vendo. Veremos nesta mensagem algumas lições importantes para alcançarmos as vitórias do Senhor Jesus EM TEMPOS DE CRISES.

VOCÊ DEVE OUVIR A VOZ DO SENHOR E OBEDECER

(Vs. 41) “E logo obrigou os seus discípulos a subir para o barco, e passar adiante, para o outro lado, a Betsaida, enquanto ele despedia a multidão”. Após a multiplicação dos cinco pães e dos dois peixes, Jesus se aproxima dos seus discípulos e ordenou que eles seguissem adiante, que eles entrassem em um barco e fosse para o outro lado. O s discípulos de Jesus ouviram a voz do Senhor e obedeceram e todos entram no barco e partiram para o outro lado para Betsaida. Mais o mestre não entrou com seus discípulos e se retirou sozinho para orar. Quero dizer para você que você não está sozinho nesta jornada, os discípulos pensavam que eles estavam sozinhos, mais não estavam, mesmo Jesus não estando com eles dentro do barco, o mestre estava de longe observando tudo o que estava acontecendo com os seus discípulos. (VS. 48) “E vendo que se fatigavam a remar, porque o vento lhes era contrário, perto da quarta vigília da noite aproximou-se deles, andando sobre o mar, e queria passar-lhes adiante”. Se você deseja alcançar as bênçãos e as vitórias que o Senhor tem reservado para você, então passe a dar valor às mínimas coisas que acontecem em sua vida. Mesmo que as situações forem contrárias pare para ouvir a voz do Senhor e obedece. O Senhor te chamou e te escolheu para ser um vencedor, e para vencer tempos que enfrentar os tempos difíceis, temos que enfrentar as tempestades, pois elas virão mais também ao de passar.

NÃO SE ENTREGA DIANTE DA TEMPESTADE, MAS LUTE E SE ESFORÇA PARA VENCÊ-LA

(Vs.48) “E vendo que se fatigavam a remar, porque o vento lhes era contrário, perto da quarta vigília da noite aproximou-se deles, andando sobre o mar, e queria passar-lhes adiante”. Os discípulos quando perceberam que o mar estava ficando agitado tiveram medo, mais não se entregaram diante da tempestade, eles se esforçaram para vencer aquela situação, chegaram a um ponto que já estavam ficando sem forças e desanimados, mais mesmo assim não se renderam e procuravam meios para vencer aquela adversidade. Querodizer para você, não sai do barco, ainda que as ondas estivessem grandes, ainda que as ondas estiverem batendo com violência sobre a sua embarcação. Tenha bom ânimo se esforce, não pense que você está sozinho, mais o Senhor vira ao teu encontro para te ajudar. Deus está no controle, ele tem te acompanhado nesta terra, os olhos do Senhor estarão sobre a sua vida você. Jesus ele está te vendo, ele está olhando para o seu sofrimento, não se preocupe, busque nele o refugio para a sua vida. Jesus vendo que eles estão em perigo, e cansados e fadigados se aproximou deles e disse: Tendo bom ânimo; não temas sou Jesus.

DEIXA JESUS ENTRAR NO SEU BARCO, POIS ELE SABE COMO VENCER A TEMPESTADE

(Vs. 51) “E subiu para o barco, para estar com eles, e o vento se aquietou”. Assim vai acontecer na sua vida, na hora em que você passar a ouvir a voz do Senhor e obedecer e deixar Jesus dirigir a sua vida, mesmo que você esteja no meio de uma tempestade, não acontecer nada com você, porque o Senhor teu Deus estará por perto para te ajudar e este problema não vai te vencer, mais o Senhor vencerá por você está tempestade que você está enfrentado. Por isso o Senhor fala contigo: Tende bom ânimo. E não temas, pois eu estou contigo.

AS TEMPESTADES NÃO TERÃO PODER DE IMPEDIR A SUA VITÓRIA

(Vs.53)“E, quando já estavam no outro lado, dirigiram-se à terra de Genesaré, e ali atracaram”. Meu irmão, minha irmã, não desista, não pare, tenha um pouco mais de confiança e confia no Deus que você serve. Jesus quer entrar na sua vida e dirigir o seu barco por águas tranqüilas, ainda que você esteja navegando por águas turbulentas, ainda que o mar da vida esteja agitado ao ponto da sua embarcação não aquentar, não desiste, mesmo que as suas forças estejam acabando, olha para Jesus, e não para as dificuldades, deixar Jesus entrar no seu barco, ou seja, deixa Jesus entrar na sua vida, ele sabe como acalmar este mar, a vitória virá. Não temas, tende bom ânimo. Jesus vai te dar vitória.

Conclusão
No meio da tempestade você não está sozinho, ainda que tudo não esteja acontecendo do jeito que você estava esperando, não fique desesperado, não desista, não pare de remar, não pare de lutar, se esforça e confia em Jesus, porque Ele virá ao seu socorro. “Quando a tempestade chegar: Ouvi o que o Senhor tem para te dizer” Tenha bom ânimo eu sou Jesus e estou contigo até o fim, não temas, porque eu vou acalmar o mar e te darei a sua vitória.



Autor: Pr. J. Silva

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Um Deus que abre portas.



"E ao anjo da igreja que está em Filadélfia escreve: Isto diz o que é Santo, o que é verdadeiro, o que 
tem a chave de Davi: o que abre e ninguém fecha; e fecha e ninguém abre." (Ap 3.7) 

"Jesus, fixando os olhos neles, respondeu: Para os homens é impossível, mas não para Deus; porque para Deus tudo é possível." 

Confira alguns dos 'impossíveis' que Deus realizou: 

* Ele abriu o mar vermelho para o seu povo passar triunfantemente, deixando para traz os seus inimigos 
vencidos e derrotados (pereceram no mar). (Êxodo.14:15-30) 

* O Senhor fez, em pleno deserto, água da rocha brotar, para saciar a sede de seu povo (Êxodo.17:1-7) 

* Ele fechou a boca dos leões, na cova em que se encontrava Daniel; impedindo assim, que os leões 
famintos e furiosos, causassem dano a Daniel. (Dn.6:19-24) 

* Ele estava na fornalha, junto com Sadraque, Mesaque, e Abednego,combatendo e aniquilando o poder e a fúria do fogo, para proteger os seus. Dentro da fornalha Ele era "O Quarto Homem". (Daniel.3:19-30) 

Esses homens acima citados confiaram verdadeiramente no Senhor. Colocaram nas mãos de Deus a sua esperança, sua vida, sua fé, e seu coração. "Bem-aventurado o homem que põe no SENHOR a sua confiança.." (Sl.40:4) 

Tudo é possível para Deus. Ele é o dono de toda a sabedoria E para ele não há tesouros escondidos. ele tudo vê, tudo sabe, e tudo conhece.Todas as coisas estão visíveis e patentes a seus olhos. Portanto, não se lamente, não murmure, não reclame. 

Confie verdadeiramente no Senhor. “Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós." (1 Pedro 5:7) 

"E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer tudo é possível ao que crê." (Marcos 9:23) 

Tranquilize seu coração e permita que o Espírito de Deus cuide e trate de você e de sua vida.
Com certeza ele sabe o que é melhor pra você.

Que Deus te abençoe em Cristo Jesus. 


Amém!

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Deus é Fiel

“Saberás, pois, que o SENHOR teu Deus, ele é Deus, o Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e guardam os seus mandamentos.” Deuteronômio 7:9
    Vivemos em uma geração onde a quebra de acordos, de contratos, de alianças tem se tornado muito comum. A falta de compromisso, de fidelidade nas relações se evidencia através de contratos quebrados, casamentos desfeitos ao menor sinal de crise, amizades rompidas, compromissos familiares quebrados.
 A infidelidade nas relações tem sido fator preponderante que tem produzido muitos traumas, marcas profundas, levando muitos a serem acometidos de doenças na alma, se isso não bastasse essa ruptura tem levado à própria relativização nas relações futuras de amizade, da vida sentimental e da vida familiar.
Defini-se fidelidade nestes termos: “A fidelidade é caracterizada pela firmeza e pela certeza de propósitos por uma atitude e uma conduta justas, pela devoção de alguém a uma pessoa ou a uma causa, pela incorruptibilidade, pela sinceridade, pela confiabilidade, pelo cumprimento das promessas e votos feitos e pela lealdade sincera.” Dr Champlin
A NATUREZA DA FIDELIDADE DE DEUS
Em relação à fidelidade de Deus, diz o Dr Champlin:
     “As ideias básicas da fidelidade de Deus são que o Senhor não é arbitrário nem displicente, mas antes, é sempre confiável quanto a tudo que diz e prometeu, pois suas palavras são verazes e seguras. Deus aplica essas suas qualidades para benefício dos homens. É um ponto fundamental da fidelidade de Deus que ele é benévolo. O amor de Deus é que governa a sua fidelidade. Ele comprometeu-se em fazer o bem para os homens; e o evangelho  mostra de que maneira.” Idem
     A fidelidade de Deus é demonstrada por sua lealdade aos pactos. “Saberás, pois, que o SENHOR teu Deus, ele é Deus, o Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e guardam os seus mandamentos.”  Deuteronômio 7:9Contudo, Deus esconde o rosto daqueles que não tem fidelidade, ou seja, que não correspondem à sua própria fidelidade. “Esconderei o meu rosto deles”, disse, “e verei qual o fim que terão; pois são geração perversa, filhos infiéis.” Deuteronômio 32:20
    Os céus proclamam a fidelidade de Deus eternamente. “E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga e peleja com justiça.” Apocalipse 19:11
 A AMPLITUDE DA FIDELIDADE DE DEUS
  • A fidelidade do Senhor é grande. Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis. Renovam-se cada manhã; grande é a tua fidelidade!” Lamentações 3:22-23
  • Sua fidelidade é extensa. A tua benignidade, Senhor, chega até os céus, e a tua fidelidade até as nuvens.” Salmos 36:5  “ Pois o teu amor é tão grande que alcança os céus; a tua fidelidade vai até às nuvens” Salmos 57:10
  • Sua fidelidade é permanente. Porque o Senhor é bom; a sua benignidade dura para sempre, e a sua fidelidade de geração em geração.”Salmos 100:5
  • Sua fidelidade se estende a todas as suas ações. “Ele é a Rocha; suas obras são perfeitas, porque todos os seus caminhos são justos; Deus é fiel e sem iniquidade; justo e reto é ele.” Deuteronômio 32:4 “Porque a palavra do SENHOR é reta, e todas as suas obras são fiéis.” Salmos 33:4
O PODER DA FIDELIDADE DE DEUS EM NOSSAS VIDAS
  • A fidelidade de Deus nos convida a uma comunhão profunda com seu filho Jesus. “Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor.” 1 Coríntios 1:9
  • A fidelidade de Deus não deixará que sejamos tentados acima de nossa capacidade de suportar. ” Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.” 1 Coríntios 10:13
  • A fidelidade de Deus nos livrará das tramas do diabo e de nossos inimigos. “Mas fiel é o Senhor, que vos confirmará, e guardará do maligno.” 2 Tessalonicenses 3:3  Recaia o mal sobre os meus inimigos! Extermina-os por tua fidelidade!”Salmos 54:5
  • A fidelidade de Deus nos protegerá de todo mal. “Para sempre esteja ele em seu trono, diante de Deus; envia o teu amor e a tua fidelidade para protegê-lo.”Salmos 61:7
  • A fidelidade de Deus nos faz suportar os sofrimentos da vida“Portanto também os que padecem segundo a vontade de Deus encomendem-lhe as suas almas, como ao fiel Criador, fazendo o bem. 1 Pedro 4:19
         Como é bom saber que temos um Deus fiel, que pode nos socorrer em nossas debilidades e fraquezas. Como é bom orar a Deus e dizer como somos gratos por sua fidelidade, por seu amor infinito. Como é bom saber que mesmo sendo infiéis a Deus ele continua fiel para conosco.
         Como é bom poder experimentar a grandeza, a profundidade da fidelidade de Deus em minha vida. Deus é fiel, suas promessas serão cumpridas em nossas vidas. Ele não me abandonará, Ele não me deixará nas mãos dos meus inimigos. Com Deus eu vou prevalecer, serei vitorioso, Ele é meu Deus fiel.
       “Como é feliz aquele cujo auxílio é o Deus de Jacó, cuja esperança está no Senhor, no seu Deus, que fez os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há, e que mantém a sua fidelidade para sempre!” Salmo 146:5,6

                                                      Por: F. Nascimento

SEGUIDORES

Acompanhar por E-mail

OUTROS ARTIGOS

Ocorreu um erro neste gadget