Países visitantes

Países visitantes: Brasil, Estados Unidos da América, Portugal, Alemanha, Rússia, Canadá, Reino Unido, Argentina, Espanha, Angola, Polônia, China, França, Israel, Venezuela, Ucrânia, Paraguai, Bolívia, Indonésia, Malásia, Grécia, República Tcheca, Iraque, Jordânia, Hong Kong, Itália, Austrália e India.

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Jesus, o verdadeiro Natal.


Natal significa nascimento. Não de uma pessoa comum. Todos sabemos. Natal foi criado para se comemorar o nascimento de Jesus. Ora, Jesus significa salvação. Salvação? Salvar de quê? Por qual razão? Para quê? Qual é o sentido deste nascimento real? Será que Natal é isto que vivemos todos os anos? Será que é suficiente entrar num clima natalino para sermos todos “abençoados”? Eu preciso de salvação ou de um Salvador? O que posso dizer?

Reconheço a insegurança e a transitoriedade desta vida, mas também sei que sou humano e fraco, e que Deus é bom e no final vai dar tudo certo. Afinal, somos todos cristãos e filhos de Deus. Neste período recebemos muitas mensagens de paz, amor, prosperidade, muitos “fluidos” positivos. Há uma atmosfera fraterna e religiosa no ar. Convidamos até padres ou pastores para abençoar nossos lares. Acho que estamos em paz com Deus. Somos pessoas do bem, o clima natalino nos mostra isto. Nossa alma se enleva com melodias familiares de Natal; músicas que nos embalam desde criança, luzes coloridas piscando, as ruas agitadas em busca de um presente ou presentes para pessoas amadas, os preparativos da ceia; um lauto jantar – claro, para aqueles que podem! – Tudo isso nos mostra uma participativa confraternização. O que importa é a atmosfera de festa, alegria, pois é Natal. Quem vai querer parar para refletir sobre o verdadeiro sentido do Natal? Não, não dá! O que importa é o que sentimos, não o sentido real! Deixemos isso para outra hora.
É dessa forma que o verdadeiro sentido do Natal se esvai, e nos restam apenas ilusões de uma sociedade de consumo misturada ao sentimentalismo das boas ideologias humanistas – “faça o seu Natal com os pobres” -. Isso sem falar de alguns (des)orientadores religiosos, os quais se auto-apascentam ao invés de apascentarem as ovelhas de Cristo. O Salvador, neste clima natalino, é apenas umbackground; um segundo-plano para tantos destaques e luzes.
Há uma Luz nessa festa, e não são luzes artificiais. Há luz em meio às trevas, mas poucos conseguem enxergar. Porque muitos são chamados, mas poucos, escolhidos (Mateus 22:14). Nem todos conseguem ver essa luz. Mas há os que conseguem vislumbrar o verdadeiro sentido do Natal. Enxergar essa luz é ouvir o Verbo, Cristo Jesus, a Palavra, o “Logos”; as Escrituras, e não só ouvir, mas seguir, pois o Verbo não só é Palavra, porém, igualmente é “ação”; ver a luz 
também é compreender o nobre e singelo nascimento do Salvador prometido por Deus – que nascera de uma mulher -. E este conhecimento (esta luz) tem o peso do destino eterno para todos nós – independente de crer ou não nisto -. Entender isso, que Deus enviou ao mundo, no tempo que determinou, Seu próprio, único e eterno Filho, pelo poder do Espírito Santo, sem intervenção do homem. Isto é luz! Assim Ele é, na verdade, o Emanuel – …ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer: Deus conosco) (Mt 1.23). – A alegria desse entendimento é a verdadeira alegria e felicidade, não a alegria induzida pelo clima de Natal. Esta é a abismal diferença. Jesus Cristo é verdadeiro Deus! Mas, não paremos por aqui…
Lucas 2:34 diz: (…) Eis que este menino está destinado tanto para ruína como para levantamento de muitos… – Este menino foi escolhido por Deus tanto para a destruição como para a salvação de muita gente. O verdadeiro sentido do Natal é apontar para a luz gloriosa do Salvador, mas a obra da humanidade é má— O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más (João 3:19). Não é à toa que a figura do Papai Noel e todo clima comercial natalício encantam a todos, enquanto desprezam o Redentor Jesus Cristo e seu nascimento real! As luzes desse Natal anti-cristão é uma felicidade artificial provocada por um alucinógeno mentiroso, cujo clima é uma nuvem espessa de ignorância; trevas, obscurecendo as verdades espirituais. Jesus Cristo, que é o único Deus vivo e verdadeiro disse: e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (João 8:32). Lembre-se que o menino nascido numa manjedoura na Palestina – o Santo que dividiu o tempo em a.C e d.C – nasceu destinado não só para salvar, mas também para destruir.
Deus não está nem um pouco interessado numa humanidade sentimentalista, cheia de “boas intenções” em períodos natalinos, quando essa mesma humanidade despreza as palavras do Seu Filho (é exatamente neste sentido que a humanidade é má); quando, na verdade passamos o ano inteiro “puxando o tapete” do próximo, mentindo, enganando, esbanjando ridícula vaidade, cometendo injustiças e torpezas, inflando arrogância, discriminando, constrangendo moralmente, envolvidos em intrigas e fofocas, disputas desonestas, traindo, ameaçando, sendo revanchistas, impiedosos e hipócritas. E ao aproximar-se a atmosfera natalina, beijamos, abraçamos e nos confraternizamos fingindo amizade e amor. Definitivamente, esta não é a alegria dos salvos, pois Jesus não está sendo a figura central e excelsa.
E se o nascimento de Jesus tivesse acontecido nos tempos de hoje? Você já imaginou como seria? 



Que estas palavras nos levem a refletir sobre nossas atitudes e sobre o verdadeiro sentido não apenas do natal, mas, o sentido de nossa existência e de nossas vidas.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Feliz Natal e um próspero ano novo.

Natal é tempo de renovar a esperança, de olhar para a vida com alegria e serenidade, de reforçar a expectativa de que o mundo seja melhor.

Por isso, desejo a todos nossos familiares e amigos um Natal cheio de paz e que 2013 seja pleno de alegria e esperança.

Forte abraço e Boas festas!

Júlio César Barbosa Romanov
Solange Rodrigues (Mãe)
João Francisco (Pai)
Tarciano Henrique (Irmão)

domingo, 9 de dezembro de 2012

ESPERAR EM DEUS, A MELHOR ESCOLHA DE NOSSAS VIDAS.




Quando ouvimos falar do TEMPO DE DEUS, logo nos assustamos, pois pensamos que Deus levará mil anos para nos atender, nos lembramos logo daquele versículo que diz “que para Deus um dia é como mil anos”. Mas se lermos o versículo completamente veremos que ele também diz o contrário: (2 Pedro 3:8 “Mas vós, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.”)

Podemos então ver, que Deus pode tanto esticar o tempo quanto diminuí-lo, pensando assim não fica tão difícil esperar O MELHOR DO SENHOR NO TEMPO DO SENHOR.
Mas o que seria o melhor do Senhor ? a palavra de Deus nos fala que o Pai só tem pensamentos bons a nosso respeito e que os pensamentos dEle são maiores que os nossos (Isaías 55:9 Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos. ). 

O melhor de Deus é muito melhor do que o nosso melhor, ou seja, quando julgamos que algo que estamos pedindo ao Senhor, é o melhor que podemos ter, devemos saber que o nosso conceito de melhor, não chega nem aos pés do conceito de melhor que é dado por Deus. Isto quer dizer que quando paramos de buscar o melhor de Deus para as nossas vidas e começamos a buscar aquilo que nós conceituamos o melhor, corremos o sério risco de sair em desvantagem, pois podemos acabar trocando o melhor de Deus , por aquilo que é simplesmente bom.

Realmente é difícil ter que esperar o tempo de Deus em algumas áreas de nossas vidas, mas se estivermos intimamente ligados ao Senhor, o tempo vai voar, realmente se passarem mil anos, sentiremos como se tivessem passado apenas algumas horas.

O Senhor tem o Melhor para cada um de seus filhos, devemos saber que o nosso Deus nunca chega atrasado,que sua hora é a mais perfeita, e sua maneira de proceder é a mais linda.

Portando melhor é esperar em Deus.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Deus existe? Existem evidências da existência de Deus?






Deus existe? Eu acho interessante o fato de se dar tanta atenção a este debate. As últimas pesquisas nos informam de que mais de 90% das pessoas no mundo de hoje acreditam na existência de Deus ou de algum poder superior. Mesmo assim, de alguma forma, a responsabilidade de provar que Deus realmente existe é posta sobre aqueles que acreditam que Deus existe. Para mim, deveria ser o contrário.

No entanto, não se pode provar ou deixar de provar a existência de Deus. A Bíblia até mesmo diz que nós devemos aceitar por fé o fato de que Deus existe: “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam” (Hebreus 11:6). Se Deus assim o desejasse, Ele poderia simplesmente aparecer e provar para o mundo inteiro que Ele existe. Mas se Ele fizesse isso, não haveria mais necessidade de existir fé. “Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram” (João 20:29).

Isso não significa, no entanto, que não existam evidências da existência de Deus. A Bíblia declara: “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite. Não há linguagem, nem há palavras, e deles não se ouve nenhum som; no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo” (Salmos 19:1-4). Olhando para as estrelas, compreendendo a vastidão do universo, observando as maravilhas da natureza, vendo a beleza de um pôr-do-sol – todas estas coisas apontam para um Deus Criador. Se estas coisas não fossem suficientes, também há evidência de Deus em nossos próprios corações. Eclesiastes 3:11 nos diz: “...[Ele] pôs a eternidade no coração do homem...”. Há alguma coisa no fundo do nosso ser que reconhece que há algo além desta vida e alguém além deste mundo. Nós podemos negar este conhecimento intelectualmente, mas a presença de Deus em nós e através de nós ainda estará lá. Apesar disso tudo, a Bíblia nos adverte que alguns, mesmo assim, irão negar a existência de Deus: “Diz o insensato no seu coração: Não há Deus.” (Salmos 14:1). Visto que 98% das pessoas através da história, em todas as culturas, em todas as civilizações, em todos os continentes acreditam na existência de algum tipo de Deus – deve haver algo (ou alguém) causando esta crença.

Além dos argumentos Bíblicos para a existência de Deus, existem argumentos lógicos. Em primeiro lugar, existe o argumento ontológico. A forma mais popular do argumento ontológico basicamente usa o conceito de Deus para provar a existência de Deus. Ele começa com a definição de Deus como “do que este não pode ser concebido alguém maior”. Argumenta-se então que existir é maior do que não existir, logo o maior ser que pode ser concebido tem que existir. Se Deus não existisse então Deus não seria o maior ser que pode ser concebido – mas isso iria contradizer a própria definição de Deus. Em segundo lugar está o argumento teleológico. O argumento teleológico é aquele que diz que como o universo apresenta um projeto tão incrível, deve ter havido um projetista Divino. Por exemplo, se a terra estivesse apenas algumas centenas de quilômetros mais afastada ou mais próxima do sol, ela não seria capaz de sustentar grande parte da vida que sustenta no momento. Se os elementos na nossa atmosfera tivessem apenas alguns pontos percentuais de diferença, tudo o que vive na terra morreria. A chance de uma única molécula de proteína se formar ao acaso é de 1 em 10243 (isto é, 10 seguido de 243 zeros). Uma única célula possui milhões de moléculas de proteínas.

Um terceiro argumento lógico para a existência de Deus é chamado de argumento cosmológico. Todo efeito deve ter uma causa. Este universo e tudo o que há nele é um efeito. Tem que existir algo que causou a existência de tudo. Finalmente, deve existir alguma coisa “não-causada” que fez com que tudo viesse à existência. Este “não-causado” é Deus. Um quarto argumento é conhecido como o argumento moral. Todas as culturas através da história têm alguma forma de lei. Todo mundo tem um senso de certo e errado. Assassinar, mentir, roubar e agir de forma imoral são coisas quase universalmente rejeitadas. De onde veio este senso de certo e errado se não de um Deus santo?

Apesar de todas estas coisas, a Bíblia nos diz que as pessoas irão rejeitar o conhecimento claro e inegável de Deus e irão acreditar em uma mentira. Romanos 1:25 declara: “...eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém”. A Bíblia também proclama que as pessoas não têm desculpa para não acreditar em Deus: “Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das cousas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis” (Romanos 1:20).

As pessoas afirmam não acreditar em Deus porque “não é científico” ou “porque não há prova”. A verdadeira razão é que, uma vez que as pessoas admitam que há um Deus, elas também precisarão se dar conta de que devem ter responsabilidade para com Deus e que precisam do Seu perdão (Romanos 3:23; Romanos 6:23). Se Deus existe, então nós devemos prestar contas das nossas ações a Ele. Se Deus não existe, então nós podemos fazer o que quisermos sem termos de nos preocupar com o Seu julgamento sobre nós. Eu acredito que esta é a razão pela qual a evolução é tão fortemente aceita por muitos na nossa sociedade – para que as pessoas tenham uma alternativa a acreditar em um Deus Criador. Deus existe e todo mundo sabe que Ele existe. O fato de que alguns tentam tão agressivamente provar que Ele não existe é de fato um argumento para a Sua existência.

Permita-me expor um último argumento para a existência de Deus. Como eu sei que Deus existe? Eu sei que Deus existe porque eu falo com Ele todos os dias. Eu não O ouço falar comigo “de uma forma audível”, mas sinto a Sua presença, sinto a Sua liderança, conheço o Seu amor, desejo a Sua graça. As coisas aconteceram na minha vida de forma que não há outra explicação senão Deus. Deus me salvou e mudou a minha vida de forma tão milagrosa que eu só posso aceitar e louvar a Sua existência. Nenhum destes argumentos pode persuadir alguém que se recusa a aceitar o que é tão claro. No fim das contas, a existência de Deus deve ser aceita pela fé (Hebreus 11:6). A fé em Deus não é um salto cego no escuro, mas um passo seguro em um quarto bem iluminado onde 90% das pessoas já estão presentes.

sábado, 27 de outubro de 2012

SOCORRO NA ANGÚSTIA



       

Salmo 46:1 “Deus é o nosso refugio e fortaleza, socorro bem presente na angustia”.
Quantas vezes nos sentimos sozinhos, angustiados e esquecidos pelos nossos amigos, parentes e por alguns momentos até os nossos irmãos em Cristo desaparecem! O que eu quero compartilhar com você é que mesmo nos momentos difíceis da vida, existe alguém que nunca nos deixa: Deus!
Até o próprio Jesus foi abandonado por alguns apóstolos na hora da sua angustia! Com medo de serem reconhecido pelos soldados romanos, preferiram estar longe na hora da crucificação. O que dizer daqueles que gritaram: Crucifica-o! Crucufica-o! Posso garantir que muitos daqueles que o acusaram, em certos momentos foram abençoados com a sua palavra ou por um milagre. Imagine o soldado que teve a sua orelha colada no momento da prisão de Jesus. Como será que ele se sentiu prendendo alguém que fez o milagre que a medicina da época não poderia fazer!
Eu não sei o que se passa na sua vida, mas se a angustia bater no seu coração, lembre que você pode invocar o seu Deus nesta hora!
Salmos 50:15 "e invoca-me no dia da angustia, eu te livrarei, e tu me glorificarás". Deus, SOCORRO NA ANGÚSTIA.
Foi assim que Ana alcançou a benção de ter um Filho (I Sm 1); Foi assim que Moisés alcançou os milagres nas horas mais difíceis.
Jairo também foi até Jesus quando mais precisava do milagre, na hora da angustia, a sua filha estava morrendo, quando estava pedindo misericórdia, recebe uma noticia: Não precisa mais, ela já morreu.
Em muitas das vezes você vai encontrar pessoas que querem incentivar a você desistir, mas não desista! Jairo mesmo recebendo a noticia da morte de sua filha confiou em Jesus e alcançou o seu milagre.
Não existe lugar de descanso no Mundo para a angustia se não for ao lado de Deus.
Salmo 46:1 “Deus é o nosso refugio e fortaleza, socorro bem presente na angustia” Deus, SOCORRO NA ANGÚSTIA..
O Senhor nos proporciona alivio e força nos momentos difíceis, ele é o nosso refugio e fortaleza, uma proteção no dia da angustia, por isso não poderia existir um auxilio melhor que o próprio Senhor! Não chore porque amigos não estão ao seu lado, lembre do verdadeiro amigo, Jesus é o nosso amigo mais chegado que um irmão.
Quantos nos dias da Angustia procuram a bebida, vicio, os prazeres da vida, cartomantes, búzios. E por não adiantar, alguns tiram a sua própria vida.
Concluímos que Cristo é a nossa esperança na hora da Angustia e que Ele nos Livra, alivia, protege, auxilia e nunca nos abandona.
Salmo 46:1 “Deus é o nosso refugio e fortaleza, socorro bem presente na angustia”.                            
 Deus, SOCORRO NA ANGÚSTIA.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Milagres são reais.

Essa música é para refletirmos e meditarmos que o nosso Deus é Grande, Poderoso e é capaz de fazer todas as coisas se tornarem realidade apenas com o som de Sua voz; mas precisamos acima de tudo é acreditar Nele (Sem fé é impossível agradar a Deus) e que Ele pode fazer muito mais daquilo que pedimos, pensamos ou planejamos.


quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Vencendo Gigantes.



TEXTO: 1 Samuel 17:31-54

Quantas vezes, irmãos, recuamos diante de situações difíceis? Simplesmente pelo fato de termos medo. Às vezes nos achamos pequenos demais para enfrentarmos os gigantescos problemas que surgem à nossa frente e ficamos sem saber o que fazer, aí vem o sentimento de derrota, de frustração, de desânimo, de medo etc. Esses mesmos sentimentos estavam tendo os israelitas diante daquele problema que se chamava Golias. Não sabiam o que fazer, ninguém tinha coragem de lutar, o medo abateu-se sobre todos. Golias era homem de guerra, valente, 2,5 a 2,8 metros de altura, não temia nada. Era uma situação desesperadora, os filisteus já estavam chamando os Israelitas de covardes. Deus então usa a Davi para dar uma lição nos filisteus e no seu povo. Como você pode vencer os gigantes de sua vida? 

1. VOCÊ NUNCA DEVE FUGIR DA LUTA (V. 32) 
"...teu servo irá e pelejará contra este filisteu". Mesmo ameaçado pela derrota, Davi se colocou como servo de Deus e confiou na vitória. Por mais que as circunstâncias sejam adversas, não podemos nos amedrontar, nem recuar, pois a vitória é certa. Nosso Deus pelejará por nós: v. 37: "O SENHOR me livrou da mão do leão e da do urso; ele me livrará da mão deste filisteu". (depositou toda sua confiança em Deus).

2. VOCÊ NUNCA DEVE ACEITAR A DERROTA E O DESPREZO (VS. 42-44)
O texto diz que o filisteu desprezou a Davi, desdenhou e zombou dele... Amado, mesmo que tudo indique o contrário, não podemos desistir. (Deus não se prende a aparências). Quem era Davi para enfrentar Golias? (só foi aceito porque ninguém queria). Todo o povo de Israel já estava com semblante abatido de frustração, de derrota (já estavam aceitando a derrota). 

3. VOCÊ NUNCA DEVE TENTAR VENCÊ-LOS COM A PRÓPRIA FORÇA (V. 45) 
"Davi, porém, disse ao filisteu: Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém eu vou a ti em nome do SENHOR dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado". Davi foi à peleja não confiando na sua própria força ou capacidade, mas confiando na força do Senhor. Será que a força de Davi era suficiente para derrubar o gigante? Declare a vitória como Davi o fez: nada pode resistir a você quando você vai na força do Senhor.  

4. VOCÊ DEVE ENFRENTAR NA DEPENDÊNCIA DO SENHOR (V. 46,47; SL 20.7-8) 
Devemos usar o que temos (Davi tinha um estilingue e algumas pedras). Quiseram que ele colocasse uma armadura, o que não era próprio dele, não era para ele. Estavam dificultando ao invés de facilitar. Deus diz: "Abra a tua boca e eu ta encherei". Em outras palavras: "Tenha ânimo, disposição e eu te ajudarei." 

Se Hoje, passou no seu pensamento recuar por causa de algum problema, nesta hora, não desista! Deus lhe diz: Você não deve recuar; você não deve aceitar a derrota ou o desprezo; você não deve tentar vencê-lo na própria força; você precisa enfrentar na dependência do Senhor!

sábado, 25 de agosto de 2012

Nunca foi fácil vencer as crises, mas nunca faltou ajuda do Alto para superá-las



É comum ouvirmos nas rádios, nos telejornais, no bate-papo entre amigos, nas redes sociais, com os colegas de trabalho e tantos outros lugares e momentos sobre este assunto: crise. Ela surge nas mais diversas áreas: finanças, ética e moralidade, família, princípios e valores e por aí vai. Esta lista ainda poderia crescer bastante.

Diante de tudo isso, surge a pergunta: quem nunca passou por crise? Como você se portou diante dela? Tomou alguma atitude, ou simplesmente anunciou: “Mais crise!”?

Em 1 Samuel 30.1-20, vemos que Davi estava passando por um momento de crise em sua vida. Depois de três dias de caminhada no retorno para casa, em Ziclague, ele mal entra na cidade e vê tudo destruído e vazio, pois sua família e bens tinham sido levados pelos amalequitas.

O desespero tomou conta dele e de seus homens a tal ponto que alguns queriam apedrejá-lo. Quanta aflição! Mas vale a pena observar como ele se portou diante da crise.

Primeiro, Davi conversou com Deus sobre a situação e obteve uma reposta: “Davi perguntou ao Senhor: ‘Devo persegui-los? Eu os apanharei?’ E o Senhor disse a ele: ‘Sim, vá atrás deles; você vai recuperar tudo o que eles tomaram de vocês!’” (1 Sm 30.8).

Em segundo lugar, ele partiu para alcançar seu objetivo. Não ficou parado, só lamentando: “Então Davi e seus seiscentos homens foram atrás dos amalequitas. Quando chegaram ao córrego de Besor, duzentos dos homens estavam tão cansados que não agüentaram atravessar o córrego, mas os outros quatrocentos atravessaram, e continuaram a marcha” (v. 9).

Em terceiro lugar, Davi aproveitou a ajuda que Deus mandou (v. 11, 15,16) e, por fim, conquistou de volta tudo o que era seu (v.18,19).

E nós? Como reagimos diante de crises? Ficamos lamentando e chorando? Procuramos um culpado, acusando-o com palavras, gestos e atitudes que não levam a solução nenhuma? O exemplo de Davi vale também para nós.

Em vez de seguir o costume comum de contar tudo para os outros, menos para Deus, podemos nos dirigir diretamente ao Senhor. Ele tem respostas para os nossos problemas e nos faz caminhar na direção da solução.

Aja! Saia do lugar! Conte com a providência divina e, no momento certo, a crise vai se resolver. É como diz a canção de Sérgio Lopes: “tua dor vai passar, com o tempo vai passar”.

O justo passa por muitas adversidades, mas o Senhor o livra de todas” (Sl 34.19)


sexta-feira, 17 de agosto de 2012

O que é ser cristão?




Devido a liberdade religiosa que há no Brasil, é comum encontrar pessoas religiosas envolvidas dentro de uma rotina capaz de fazer com que elas sintam razão para viver e se considerarem cristãs. Elas vivem um ciclo de hábitos muito forte. São tão fortes esses hábitos que elas não pensam em refletir se o sentimento que possuem é correto ou não. Seus costumes estão arraigados em seu ser e por causa disso entram em debates para defendê-los dizendo que eles são a prática do cristianismo.

Então, pergunto: o que é ser cristão?

Para alguns, ser cristão é apenas ter uma carteira de membro de uma denominação evangélica. Não considero errado possuir uma e ser frequentador de um templo, mas isso não significa ser cristão, embora muitos possuidores da carteirinha e do hábito de frequentar templos sejam autênticos cristãos.

Para outros, ser cristão é seguir as doutrinas de teólogos como João Calvino e Jacó Armínio. Mas estes dois homens nada mais fez do que interpretar as Escrituras Sagradas no tema soteriologia, a doutrina da salvação. As suas interpretações não têm a capacidade de fazer com que almas sejam salvas. Portanto, ser cristão não é o mesmo que adotar os conceitos deles. 

Alguns acreditam que ser cristão é ser católico, ou crente evangélico, ou crente evangélico pentecostal, ou crente evangélico tradicional... Nada disso conota e denota a essência do significado de ser um cristão. Tais detalhes apontam para a religiosidade de cada um.

Ser cristão é uma característica interna, algo forte e profundo que está lá dentro do coração. É a firme convicção da necessidade de seguir as ideias de Jesus Cristo, crer nos ensinamentos dEle. Ele mandou você amar a Deus, amar a si mesmo da mesma maneira que amar quem está em sua volta, mandou amar os inimigos. Quem obedece à ordem, em todas as circunstâncias, pode dizer que é um cristão de verdade.

Ninguém pode dizer que ama a Deus se aborrece ao próximo. Quem aborrece o próximo não está praticando o amor, então, está em desobediência a Deus. Portanto, a prova de amor a Deus é amar ao próximo. Veja: 1 João 4.20.

Se a pessoa não for praticante do amor que Jesus Cristo recomendou, não adianta ser frequentador de templos de domingo a domingo; ser calvinista; ser arminianista; ser crente católico ou ser crente evangélico pentecostal ou neopentecostal ou tradicional ou reformado, Quem não ama a Deus e ao próximo, é apenas mais um religioso, só um religioso que não podemos dizer que é cristão de verdade.

A religião não salva. A salvação está ligada à fé com obras. Quais obras? De obediência. Obedecer ao mandamento do amor. Ser cristão é ser disposto a obedecer ao mandamento do amor a Deus e ao próximo.

E.A.G.

Artigo relativo ao tema: Cristocentrismo no corpo, na alma e no espírito

domingo, 29 de julho de 2012

DEUS DO IMPOSSÍVEL

Em teu nome posso tudo mudar tudo transformaPois eu creio no Deus do impossívelCom fé cegos enxergarão mudos irao falarPois eu creio no Deus do impossível
Eu não vou viver mais com o medo Eu não vou viver mais com a vergonhaPois sei que minha vida ja mudouOs meus sonhos o Senhor já restaurou
Em teu nome posso tudo mudar tudo transformarPois eu creio no Deus do impossívelCom fé cegos enxergarão mudos irao falarPois eu creio no Deus do impossível
Creio em Ti, Creio em TiCreio em Ti, Creio em Ti Jesus

quarta-feira, 25 de julho de 2012

O Senhor enxugará tuas lágrimas.



"O Senhor teu Deus enxugará as lágrimas dos seus olhos, não haverá nem morte, nem choro, nem luto, nem grito, nem dor, porque essas coisas terão passado". (Ap 21.4)
Saudações meus amados em Cristo!
Quero hoje falar e orar por você que está sofrendo. Temos visto e ouvido tantas tragédias e desastres, muitas vezes nos vemos diante de situações que nos deixam tristes e deprimidos.

São nesses momentos que temos que nos unir mais ao Senhor, lembre-se da passagem no Mar da Galiléia, Pedro estava afundando e Jesus deu a mão a Pedro. É assim que hoje ele quer fazer com você, estender a mão e te tirar de dentro da tempestade.

Quantos sofrem por doenças, separações, falta de dinheiro, humilhações ou até mesmo por perdas, quantos sofrem por que perderam entes queridos e a saudade, as lembranças faz o coração doer!

Vamos colocar tudo nas mãos do Senhor, Ele quer enxugar nossas lágrimas, dar o conforto que precisamos, a mão amiga que nos levanta, o ombro que acolhe, a boca que aconselha.

Se você passa por um momento assim de extrema dor, apegue-se Aquele que pode dar o bálsamo curador a sua dor e restaurar sua vida.

Lembre-se das Palavras de Jesus:
NESTE MUNDO TEREIS AFLIÇÕES, MAS TENHA BOM ÂNIMO, EU VENCI O MUNDO! (Jo 16.33)

E Oro por você agora:
“Pai coloca Coragem nos corações de filho amado, da sua filha amada; sei que Jesus já venceu e hoje Ele está conosco diante de nossas batalhas e sabemos que no final venceremos, pois Ele já nos deu a vitória."
Tome posse e continue seguindo sua vida com os olhos voltados para o Senhor.

Fraternalmente,
Júlio César.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

VENCENDO OS GIGANTES DA VIDA




TEXTO: 1 Samuel 17:31-54

INTRODUÇÃO: Quantas vezes, irmãos, recuamos diante de situações difíceis? Simplesmente pelo fato de termos medo. Às vezes nos achamos pequenos demais para enfrentarmos os gigantescos problemas que surgem à nossa frente e ficamos sem saber o que fazer, aí vem o sentimento de derrota, de frustração, de desânimo, de medo etc. Esses mesmos sentimentos estavam tendo os israelitas diante daquele problema que se chamava Golias. Não sabiam o que fazer, ninguém tinha coragem de lutar, o medo abateu-se sobre todos. Golias era homem de guerra, valente, 2,5 a 2,8 metros de altura, não temia nada. Era uma situação desesperadora, os filisteus já estavam chamando os Israelitas de covardes. Deus então usa a Davi para dar uma lição nos filisteus e no seu povo. Como você pode vencer os gigantes de sua vida? 

1. VOCÊ NUNCA DEVE FUGIR DA LUTA (V. 32) 
"...teu servo irá e pelejará contra este filisteu". Mesmo ameaçado pela derrota, Davi se colocou como servo de Deus e confiou na vitória. Por mais que as circunstâncias sejam adversas, não podemos nos amedrontar, nem recuar, pois a vitória é certa. Nosso Deus pelejará por nós: v. 37: "O SENHOR me livrou da mão do leão e da do urso; ele me livrará da mão deste filisteu". (depositou toda sua confiança em Deus).

2. VOCÊ NUNCA DEVE ACEITAR A DERROTA E O DESPREZO (VS. 42-44)
O texto diz que o filisteu desprezou a Davi, desdenhou e zombou dele... Amado, mesmo que tudo indique o contrário, não podemos desistir. (Deus não se prende a aparências). Quem era Davi para enfrentar Golias? (só foi aceito porque ninguém queria). Todo o povo de Israel já estava com semblante abatido de frustração, de derrota (já estavam aceitando a derrota). 

3. VOCÊ NUNCA DEVE TENTAR VENCÊ-LOS COM A PRÓPRIA FORÇA (V. 45) 
"Davi, porém, disse ao filisteu: Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém eu vou a ti em nome do SENHOR dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado". Davi foi à peleja não confiando na sua própria força ou capacidade, mas confiando na força do Senhor. Será que a força de Davi era suficiente para derrubar o gigante? Declare a vitória como Davi o fez: nada pode resistir a você quando você vai na força do Senhor.  

4. VOCÊ DEVE ENFRENTAR NA DEPENDÊNCIA DO SENHOR (V. 46,47; SL 20.7-8) 
Devemos usar o que temos (Davi tinha um estilingue e algumas pedras). Quiseram que ele colocasse uma armadura, o que não era próprio dele, não era para ele. Estavam dificultando ao invés de facilitar. Deus diz: "Abra a tua boca e eu ta encherei". Em outras palavras: "Tenha ânimo, disposição e eu te ajudarei." 

CONCLUSÃO: Hoje, se passou no seu pensamento recuar por causa de algum problema, nesta hora, não desista! Deus lhe diz: Você não deve recuar; você não deve aceitar a derrota ou o desprezo; você não deve tentar vencê-lo na própria força; você precisa enfrentar na dependência do Senhor!

terça-feira, 10 de julho de 2012

O JUSTO VIVERÁ PELA FÉ




"E é evidente que, pela lei, ninguém é justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé."Gl  3.11

A fé é indispensável a todos que se doam ao Senhor, pois sem fé é impossível agradar a Deus (Hb 11.6)



O que é viver pela fé?
É "Perder a vida", nisto resume todas as demais definições.
Jesus disse: "... quem perder a sua vida por minha causa, achá-la-á." (Mt 16.25). Este é o grande segredo de viver pela fé, perder a vida por Jesus! Deixando o pecado, que afasta o homem do Senhor  (Gl 5.16-21).
Para viver pela fé é necessário colocar-se em segundo plano, oferecendo o primeiro lugar para Deus. (Mt 6.33) Esta forma de vida, adquiri-se no convívio diário com o Mestre, observando os seus ensinamentos, desenvolvendo a comunhão, a justiça, o amor, a santidade etc. É indispensável ser sensível ao Espírito Santo e ouvi-Lo.
O viver pela fé é uma realidade tão necessária quanto se alimentar; e não é privilégio de alguns, é dever de todos.

Disse Paulo:
"Cristo morreu por todos para que os que vivem não vivam mais para simesmo... Quando alguém está unido com Cristo, é uma nova pessoa, ascousas antigas passaram e se fizeram novas." (2 Co 5.15, 17)

Se você já é uma nova pessoa, viva diariamente na fé em santidade e pureza e verás o que Deus faz através de homem que se santifica.
Existe aqueles que enxergam esta situação como uma grande aventura floreada e romantizada, entendem que é preciso abandonar tudo - trabalho, bens, cidade etc.- e ficar esperando confiante na graça de Deus, algo parecido com o acontecido ao profeta Elias, quando foi alimentado pelos corvos (1 Rs 17.1-7 ). É um entendimento errôneo da verdade e vontade de Deus, pois o viver pela fé é para todos, envolve as 24 horas do dia. Não é um mandamento direcionado especificamente a alguns que se acham chamados para o "ministério, obras missionárias, etc". Estes espelham-se em narrativas de homens que viveram uma situação diferente em suas vidas.Muitos descobrem esta realidade um pouco tarde e tornam-se blasfemos, murmuradores diante do Pai.

Lembre-se: "Viver pela fé é uma questão de vida e é para todos!"
 A simples fé implica uma disposição de alma para confiar noutra pessoa. Difere de credulidade, porque aquilo em que a  fé tem confiança é verdadeiro de fato, e, ainda que muitas vezes transcenda a nossa razão, não lhe é contrário. A credulidade, porém,  alimenta-se de coisas imaginárias, e é cultivada pela simples imaginação. A fé difere da crença porque é uma confiança do coração e não apenas uma aquiescência intelectual. A fé religiosa é uma confiança tão forte em determinada pessoa ou princípio estabelecido, que produz influência na atividade mental e espiritual dos homens, devendo, normalmente, dirigir a sua vida. A fé é uma atitude, e deve ser um impulso.
 A fé cristã é uma completa confiança em Cristo, pela qual se realiza a união com o Seu Espírito, havendo a vontade de viver a vida que Ele aprovaria. Não é uma aceitação cega e desarrazoada, mas um sentimento baseado nos fatos da Sua vida, da Sua obra, do Seu Poder e da Sua Palavra. A revelação é necessariamente uma antecipação da fé. A fé é descrita como "uma simples mas profunda confiança Naquele que de tal modo falou e viveu na luz, que instintivamente os Seus verdadeiros adoradores obedecem à Sua vontade, estando mesmo às escuras". A mais simples definição de fé é uma confiança que nasce do coração.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

O Verdadeiro Amigo – João 15:15




É interessante notarmos que existem tantas datas comemorativas em nosso calendário, a ponto de muitas passarem despercebidas: dia do índio, dia do padeiro, dia do marceneiro, dia disto, dia daquilo; são tantas datas que nem sabemos o que se comemora a cada dia.
Mas observando um “site” de datas comemorativas, deparei-me com uma data especial comemorada no dia 20 de Julho que me chamou a atenção: “O dia Internacional do Amigo” e gostaria de citar algumas características que entendo que precisam existir em um amigo:
1) Amigo é aquele que está sempre presente, nas alegrias, mas principalmente nas tristezas (Provérbios 17:17)
2) Amigo é aquele que procura se doar em prol do bem-estar do próximo.
3) O amigo é aquele que sabe pedir perdão ou perdoar, visando a manutenção do relacionamento.
4) O amigo tem liberdade e intimidade. Como sempre digo, come na minha mesa e eu em sua mesa. Não há dificuldades de sentar junto e poder compartilhar assuntos de nossas vidas.
5) O amigo é mais chegado que um irmão (Provérbios 18:24)
6) O amigo sempre está pronto para suprir as dificuldades e necessidades de sue próximo.
Se fosse alencar características de um amigo, ficaria talvez até amanhã e conseguiria fazê-lo.
Pois, bem, que Deus possa nos conscientizar da importância de termos estas características, pois, se haviam na vida de Jesus, “o amigo verdadeiro”, precisa também estar em nossas vidas, os seus imitadores.
Experimente estas características em tua vida e verás quantas bênçãos recairão sobre você e tua casa.
Que Deus o abençoe e se puder neste dia, presenteie alguém como uma palavra, com um mimo, ou até mesmo com um cafezinho juntos e demonstre a tua amizade.

sábado, 23 de junho de 2012

A Festa de São João.

A coisa mais comum do mundo é as pessoas fazerem coisas, ou comemoraram datas, sem nem ao menos saberem o porquê. Na maioria das vezes, eles assim fazem apenas porque “todo mundo faz”, ou “todo mundo comemora”, e como estes também fazem parte do mundo, então não veem motivos para não observar datas comemorativas no ano.

Uma das datas comemorativas que mais fazem “sucesso” no Brasil é a festa junina, ou o Dia de São João. Aqui iremos falar um pouco da origem da festa junina, e vermos se seria apropriado para um cristão participar, ou comemorar, o Dia de São João.
I. Análise da Origem do Dia de São João:
“O dia de São João tem menos a ver com o santo católico do que se imagina”, diz a Folha de S. Paulo. Embora a festa ‘se confunda com o dia em que o santo teria nascido, a verdadeira comemoração é de caráter agrícola e pagão’. Resumindo as descobertas do antropólogo Câmara Cascudo, o jornal diz que “cultos solares germanos e celtas” festejavam a proximidade das colheitas “para afastar os demônios da esterilidade, das pestes dos cereais e das estiagens”. Anos mais tarde, os portugueses trouxeram a celebração para o Brasil. 

O nome joanina teve origem, segundo alguns historiadores, nos países europeus católicos no século IV. Quando chegou ao Brasil foi modificado para junina. Trazida pelos portugueses, logo foi incorporada aos costumes dos povos indígenas e negros.
Em termos de nomenclatura, o Dia de São João, é uma forma de cristianizar uma festividade pagã, coisa que ocorria com muita freqüência dentro da Igreja Católica Romana nos primeiros séculos, com o objetivo de tornar o cristianismo mais aceitável para pessoas que estava acostumadas com as crenças e costumes pagãos.

Segundo o “mito católico romana”, toda essa celebração está registrada na Bíblia em Lucas 1:11-45. Embora a passagem de Lucas seja história propriamente dita, por fazer parte do cânon Sagrado das Escrituras, o que chamamos de “mito católico romano” se trata do enfeite que a Igreja deu para esse relato, a fim de ensinar aos seus fieis a comemorarem o Dia de São João.

Por exemplo, eles pegam esse relato e embelezam, dizendo que Elizabete disse que quando o menino João Batista nascesse, ela ascenderia um fogueira como sinal. Diz que quando o menino nasceu, todos, especialmente o pai, Zacarias, ficaram muito alegres, e fizeram muito barulho, o que deu origem as bombinhas de São João. (Que imaginação!)

Explicando a provável coincidência do Dia de São João cair no dia da festividade do solstício, aWikipédia diz:
“No entanto, o significado da festa [junina] cair por volta do tempo do solstício é considerado por muitos como significativo, relembrando as palavras de João Batista com respeito a Jesus: “Ele deve aumentar, mas eu tendo a diminuir”. (John 3:30)
Provavelmente algum católico deve ter escrito essa parte da Wikipédia, uma vez que ela é feita pelos próprios internautas. A fim de justificar essa data como talvez “bíblica”, ela cai exatamente no dia da adoração solar. Pode isso?!
Se o Dia de São João correlacionado com a adoração do solstício “nos faz lembrar” das palavras de João 3:30, deveria também nos fazer lembrar de que ele não se achava digno de “desatar as sandálias” do Senhor Jesus. (Cfr. Mt. iii.11) No entanto, ele é hoje venerado, e ainda recebeu um dia que “coincide” com o dia em que se adorava o sol em Roma.

Não há dúvidas de que o Dia de São João, ou as Festas Juninas, tem um fundo histórico pagão. 

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Qual é o seu alvo?




Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o pai de misericórdias e Deus de toda consolação.
É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus. ( II Co 1 3;4).

Mesmo que as coisas aos seus olhos parecem está fora de controle, as situações piorem, tudo parece não ter solução,adore ao Senhor,Ele continua sendo um Deus de milagres, ele continua sendo um Deus de impossível, Ele continua no controle de tudo,Ele é o alfa e o ômega, o princípio e o fim.

Nos prostremos diante de sua poderosa Glória. Faça de sua vida um altar de adoração, adore ao Senhor em todas as circunstâncias,não há para onde irmos se não para o colo de nosso Paizinho Celestial, e ESPERAR NELE,  os cumprimentos de suas promessas na nossa vida.

Nos humilhemos diante da poderosa mão de Deus para que a seu tempo Ele nos exalte.

É difícil adoramos quando nada nos parece favorável, mas é nossas horas que damos o nosso sacrifício de louvor. Retiremos os nossos olhos das circunstâncias e olhemos para cima que é de onde vem o nosso socorro.

Na presença de Deus vem o nosso consolo, vem a nossa provisão para aquilo que necessitamos. 

O meu alvo amados é  CRISTO. É em Cristo que sou mais que vencedor, é em Cristo que eu posso todas as coisas, é em Cristo que sou herdeiro de todas as promessas de Deus para minha vida e minha família, é em Cristo que sou fortalecido, é em Cristo que sou curado, é em Cristo que sou transformado a sua imagem e semelhança, é em Cristo que ando cima dos meus problemas. Eu tenho a vitória em Cristo.

Qual é o seu alvo?

Que as bençãos do Eterno seja derramada na vida de cada um de vocês.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Namoro Cristão.





O namoro cristão é uma preparação.
Um período extremamente importante na vida de dois jovens cristãos e de muitas responsabilidades. Representa um período de transição entre dois jovens ou adultos, um homem e uma mulher, crentes no Senhor Jesus Cristo, sendo que ambos devem ter um bom nível de maturidade. Ambos mantém um bom ritmo de comunicação, sendo através deste relacionamento orientados e preparados por Deus para um futuro casamento.
Namoro cristão deve sempre visar o casamento. Um namoro que não tem como alvo um futuro casamento, sequer deve ser iniciado.Embora o desejo seja que ambos se tornem íntimos em seu relacionamento, isso não quer dizer liberdade no aspecto físico e muito menos liberdade sexual entre o casal de namorados. A relação sexual está destinada a ser desfrutada apenas entre pessoas devidamente casadas (Hebreus 13.4; Gênesis 2.24; Cantares de Salomão 4.12; 1Tessalonicenses 4.3-5; Colossenses 3.5-6; 1Coríntios 6.15-20; 1Timóteo 5.22; 2Timóteo 2.22).
Este é um período de conhecimento mútuo, conhecimento da alma, do coração, nunca do físico um do outro. O aspecto físico está destinado para depois do casamento. Portanto, exige disciplina própria, vigilância constante. É um tempo onde se obtém oportunidade de duas personalidades diferentes se harmonizarem, conhecerem um ao outro.
Comunhão espiritual é fator primordial. Lembre-se que quanto mais próximo cada um estiver de Deus, mais próximo estarão um do outro. Este período também serve para confirmar a perfeita vontade de Deus para a vida de ambos.
O padrão de Deus para um namoro bem sucedido é este:
1) Espiritual – forte. Deus em primeiro lugar, nunca seu namorado (a).
2) Vontade, emoções e mente dentro do plano de Deus.
3) Corpo (físico) – sob controle.
Quando um namoro está fora do padrão de Deus, o que acontece é justamente o contrário:
1) Espiritual – fraco. A sensibilidade espiritual está cauterizada.
2) Emoções, vontade e mente – descontrolada.
3) Físico – sensual.
Portanto, fora do padrão de Deus ocorre que o lado espiritual fica cauterizado; a mente, a vontade e as emoções raciocinam de forma sensual e o físico fica corrupto.
Uma pergunta séria a se pensar:
A vontade de Deus é mais importante que o seu namoro?
Que Deus em Cristo os fortaleça.

sábado, 2 de junho de 2012

Tema: VITÓRIA NAS PROVAÇÕES



Ezequias foi um grande homem de Deus, um importante rei de Judá. Foi ele que reformou a religião do povo de Deus restituindo o culto, a páscoa, os sacrifícios e abolindo a idolatria no meio do povo de Deus.
O texto diz que mesmo assim, “depois de toda sua fidelidade’, o inimigo, representado por Senaqueribe, o temido rei do império da Assíria o tentou destruir. Acontece que Ezequias era um homem temente a Deus e não quis lutar sozinho, mas pediu forças ao Senhor.
Vejamos o que Ezequias fez para aprendermos a lutar as nossas lutas com Deus: 
Vamos refletir no exemplo de Ezequias e aprender como enfrentar os problemas com ajuda de Deus:




 
1- Ser fiel: II Crônicas 31.20,21
Como Ezequias, devemos ser fiel ao Senhor, em todo o tempo “em toda obra”, em todo lugar “em todo Judá”, e com integridade “de todo o coração”, pois a fidelidade faz com que o inimigo não tenha legalidade para nos derrotar, e liberar a bênção de Deus como Ezequias que“prosperou”, por causa de sua fidelidade. 
2- Depender de Deus: II Crônicas 32.1
Mesmo sendo fiéis, enfrentamos lutas que servem para nos ensinar a depender de Deus ara tudo em nossa vida. Enquanto estivermos neste mundo enfrentaremos lutas e obstáculos que servirão para engrandecer o nome de Deus em nossas vidas.
3- Tapar as fontes para o inimigo: v.3,4
Ezequias teve uma idéias maravilhosa. Para subir a Jerusalém é muito alto e a pessoa vai subindo devagar, por isso o povo de Deus, fez fontes de água nas subidas para que conseguissem chegar no alto da cidade ao caminhar. Essas fontes eram um alívio para o caminhante da cidade santa, mas para os inimigos seria uma força para derrotar o próprio povo de Deus. Por isso Ezequias resolveu tapar todas as fontes. Junto com o povo fizeram isso. Assim o inimigo não iria usufruir de sua água, nem mesmo ter forças para subir ao alto de Jerusalém.
Do mesmo modo que Ezequias precisamos aprender a tapar todas as fontes do inimigo em nossas vidas. Esgotar tudo aquilo que alimenta o pecado. Enfraquecer o inimigo de nossas vidas para que não nos alcance mais alto na presença de Deus.
4- Restaurar os muros: v. 5
Os muros da cidade estavam defeituosos e precisavam ser reformados e reforçados para que quando o inimigo chegasse, já sem forças, não conseguisse romper as barreiras.
Deste modo também precisamos restaurar os muros de nossas vidas e nos proteger contra toda investida do inimigo. Tapar as brechas para não ser pego de surpresa.
Ezequias fez outras três coisas para reforçar a proteção do povo de Deus:
-ergueu torres nos muros para que soldados estivessem de vigia olhando de onde vem o inimigo e anunciando qualquer perigo. Isso significa VIGILÂNCIA, estar alerta a todo o tempo (Marcos 14.38).
-fez outro muro por fora do muro já reforçado e com torres. Isso significa colocar alguém por perto, estar cercado por outras pessoas para não correr risco de ser pego sozinho. Isso é possível através da COMUNHÃO na igreja com outros irmãos (Hebreus 10.25).
-providenciou mais armamento para o povo. Isso significa PREPARAÇÃO para a batalha. Todos devemos estar armados com a Armadura da Fé (Efésios 6.10-17)
5- Fortalecer o coração: v.6
De nada adiantaria enfraquecer o inimigo tapando as fontes de água, restaurar os muros, fazer torres, outro muro por fora e armar o povo se estes estivessem com o coração temeroso e desanimado. Ezequias “falou ao coração do povo” para que ficassem mais animados para lutar e confiantes no Senhor.
Por isso precisamos nos equipar para a Batalha, mas também nos preparar interiormente. Ter força espiritual para batalhar. 
6- Crer que Deus é maior: v.7,8
Além de tudo é preciso ter fé de que Deus é maior do que tudo e todos. A fé de Ezequias era em um Deus que tem o “braço forte” e que “luta as nossas batalhas”.
7- Receber a vitória por INTERVENÇÃO Divina: II Crônicas 32.21-23
Nesta batalha Ezequias não teve que fazer nada, além de ver Deus defendendo ele dos seus inimigos e como Diz o texto ele teve “paz por todos os lados”, porque o Senhor o defendeu. Do mesmo modo, quando confiamos no Senhor ele nos defende e intervém ao nosso favor derrotando o inimigo.

Creia no Senhor que luta por você e te defende porque Ele é maior do que tudo e todos!

SEGUIDORES

Acompanhar por E-mail

OUTROS ARTIGOS

Ocorreu um erro neste gadget