Países visitantes

Países visitantes: Brasil, Estados Unidos da América, Portugal, Alemanha, Rússia, Canadá, Reino Unido, Argentina, Espanha, Angola, Polônia, China, França, Israel, Venezuela, Ucrânia, Paraguai, Bolívia, Indonésia, Malásia, Grécia, República Tcheca, Iraque, Jordânia, Hong Kong, Itália, Austrália e India.

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Deus, Abraão e o impacto da fé



Leitura – Gn 12:1-7, 15:1-19, 22:1-19 


 
Resumo do Tema
 
A partir de Noé, Deus iniciou uma nova humanidade. Mas os filhos de Noé se desviaram e construíram a Torre de Babel, numa tentativa de chegar a Deus. Entretanto, o Soberano, criador dos céus e da terra, não pode ser alcançado por iniciativa humana, é sempre Deus que vem em busca do homem. Neste ponto da história Deus resolve criar um povo. E para criar esse povo Ele chamou pessoas. Deus chamou pessoas para impactar o mundo. Pessoas normais como você e eu.
 
Pessoas que tem suas fraquezas, que choram e que sofrem. Deus escolheu Abrão, e não por causa dos seus predicados, por causa da sua vontade soberana. É assim conosco também. Somos escolhidos sem ter qualquer característica que nos qualifique. É pura graça, é a vontade soberana de Deus.
 
Deus chamou Abraão, fez promessas, e fez com ele uma aliança. Abraão responde por fé ao chamado de Deus. Quando Deus chamou Abraão, ele vivia numa grande cidade e tinha muitas posses. O chamado de Abraão é muito intrigante. Deus chama, mas não diz para onde. Olhando com olhos humanos isso poderia significar um suicídio vocacional, financeiro e, consequentemente, familiar. Até antão Abraão não tinha experimentado um relacionamento profundo com Deus, mas mesmo assim ele resolve atender.
 
Na aliança de Deus com Abraão, três temas se destacam:
  1. Deus faria de Abraão um grande povo – tamanho e poder;
  2. Deus abençoaria Abraão;
  3. Deus abençoaria o mundo por meio dele.
Apesar do mundo ter se voltado contra Deus, ainda assim Ele queria abençoar o mundo. Por isso Ele chamou um homem para formar uma nação, para que dessa nação saísse o salvador da humanidade, Jesus Cristo. O Messias viria ao mundo através de Israel, e Abraão foi o homem escolhido por Deus para iniciar isso.
 
A resposta de Abraão, ao chamado de Deus, mostra uma fé impressionante. Mesmo sem saber o destino (para uma terra que eu lhe mostrarei), Abraão tomou uma atitude corajosa e confiante. O texto diz que Abraão partiu. E ao partir deixou para trás seus valores antigos, sua cultura antiga, suas práticas antigas, seus alvos antigos e, inclusive, seus deuses antigos. Para Abraão esse foi o começo de uma vida cheia de propósito. A resposta de Abraão representou uma mudança na história do mundo. Você também é desafiado por Deus a viver de forma a ser benção para o mundo no qual você vive.
 
No capítulo 14 de Gênesis, vemos Abraão encontrando o rei Melquisedeque, que era sacerdote do Deus altíssimo. Nessa passagem vemos Abraão reconhecendo que tudo quanto possuía vinha de Deus, e por isso ele O adora, oferecendo o dízimo de suas posses. Quanta diferença. Foi chamado no meio da idolatria e agora se torna um verdadeiro adorador do único Deus verdadeiro.
 
Na mente de Abraão ainda ecoavam as promessas de Deus, muito embora as circunstâncias parecessem desfavoráveis. Abraão estava com quase cem anos e sua mulher Sara era estéril. Como Deus faria de Abraão um grande povo? Como Deus abençoaria o mundo por meio dele? Mas Deus não está limitado no tempo, e nem acuado pelas circunstâncias. Deus é fiel e cumpre todas as suas promessas. Deus reforça sua promessa a Abrão, mostra o céu, e diz que sua descendência será como as estrelas do céu.

Preocupado com a demora no cumprimento da promessa, Abraão resolve dar uma “mãozinha” a Deus e tem um filho com uma serva de Sara. Nasce Ismael, mas esse não era o filho da promessa. Abraão estava com cem anos, já se passavam 24 anos desde que respondera positivamente ao chamado de Deus, quando Sara concebe a Isaque. O Deus da promessa não falha. E assim como não falhou com Abraão, não falhará com você.

 
Quando parecia que a história estava completa, Deus leva Abraão a experimentar a prova mais significativa de sua vida. Deus pede que Abraão sacrifique seu único filho, o filho esperado por 25 anos, que finalmente permitiria o cumprimento da promessa de fazer dele um grande povo. Deus sabia como Abraão reagiria, mas ele não. Há muitas coisas que Deus sabe a nosso respeito, mas nós não. E ele quer que saibamos, por isso nos testa. Abraão enfrenta o desafio de Deus como um desafio de adoração. Ele decide sacrificar o filho como adoração. Era inexplicável que Deus quisesse matar a resposta da sua promessa, e era insano que Deus desejasse a morte de um ser humano. Certamente Abraão não podia entender o que Deus estava pedindo, mas ele apenas obedeceu, sem duvidar da providência divina. Quando Abraão se prepara para matar seu filho, ouve a voz do anjo de Deus que diz para não fazer isso. Deus, então, diz: “agora sei que me temes, pois não me negaste o teu filho, o teu único filho”. Depois disto Deus reafirma sua promessa, que Abraão teria uma descendência tão numerosa como as estrelas do céu e a areia do mar. Isto continua se cumprindo através de Cristo, através de todos os que se convertem ao Senhor Jesus.
 
Abraão respondeu com fé ao desafio de Deus. E Deus usou Abraão para causar um impacto no mundo.
 

 Agora eu pergunto a você:
  1. Que sentimento produz em você saber que Deus tomou a iniciativa de vir ao seu encontro?
  2. Por que Deus escolheu você para ser salvo?
  3. Que importância tem, para a história do mundo, a resposta de Abraão, ao chamado de Deus?
  4. É fácil continuar acreditando em uma promessa depois de 25 anos? Por quê?
  5. Você já tentou dar uma “mãozinha” a Deus, e não alcançou bom resultado? Comente.
  6. Deus precisa de nossa ajuda para cumprir seus planos?
  7. Há alguma coisa que você espera de Deus há muito tempo, pelo que você ora? Compartilhe com o grupo.
  8. Que atitude Deus espera de seus filhos, diante de sua Palavra?

 


Nenhum comentário:

SEGUIDORES

Acompanhar por E-mail

OUTROS ARTIGOS

Ocorreu um erro neste gadget